Três drinks depois

Eu não sei muito que pensar tem muita coisa acontecendo junto aqui dentro é sempre muita confusão tive uma noite horrível embora tenha dormido bem que a tanto nessa semana nem lembro mais o sonho estranho bizarro intenso daqueles que a gente matuta o tempo de manhã e quando acorda aquele gosto aquele gesto aquele todo e todo resto o rastro de lá prá cá fustiga e o que será nem o outro explica é só o que há e pronto

Apronta o resto que a vida vem ainda aquilo tudo que deixei ficou pra ontem e antes que eu me esqueça há outra coisa na cabeça ELA entao ama de verdade eu sei eu sinto, mas o outro que ela vê em mim já nem me sobra lá não me cabe não é a sombra do que sou


Eu represento o tempo todo e não se deva confiar
Não tem em mim verdade senão a mais suja vaidade
Eu ando a espreita tentado a lhe enganar
Porque eu sou sujo
Porque eu não sei amar

Talvez eu queira o que é dos outros
Talvez eu tente lhe roubar

Eu destorço tudo
O que eu não omito eu minto
Faço tudo e é por pensar
Faço você girar jogar contra si mesmo e até se questionar
Faço pra machucar. Por suja essa intenção, é pra você me olhar?
Porque eu gosto assim? – você não vê razão.


ESGOTO E GASTO
DESGASTO TUDO
EU SEM LADO E LAÇO

Vê só isso em mim. Carrega.

Vê só isso e pena (e prega)
E sofre
Perdendo o brilho
Prendendo aquilo
E o tempo é pedra

Sofre – vontade mesmo é se atirar
Soltando os bichos pés pelas mãos
Saltando enganos
Sofrendo em vão –

Ele não sabe amar ele é mesmo um porco ele ‘tá quase louco de tão doente daqui a pouco demente morre sozinho e sujo num quarto estranho sem ninguém pra encontrar e quando o cheiro já for inteiro o pobre não terá ninguém ainda - talvez mereça isso, e verão.

Nós nos amamos, escrito ao próprio
E sangue tanto derramado
Nenhuma lagrima a derramar
Enterra aos porcos
Nem vão notar



No fim não haverá nada. No fundo caberá dentro o espaço e a culpa
A falta? Quem saberá?


Quem há de notar que eu andarei triste ou com o dedo enriste?
Quem há de amar a mim que eu queira?
Quem há de amar a ti?
Quem há de ti amar? Mereça.



Não esqueça.



Que pena não ser assim, bem como eu penso.
Tudo poderia ser bem diferente, sabe?



Eu te chamo
Eu te amo de não saber levar a historia sem ter você
Eu te amo porque é pra ser e eu amo assim
Sem pena nem jeito (um gesto pequenino)

Tanto já fizemos e dizemos um pro outro e outros no meio
E bem verdade há vaidades e segredos
Mas tanto é o sentimento que um centímetro depois já é saudade
Tanto ar-
rependimento
São tantos ais
Não suporto a idéia de que lhe fazer sorrir sou incapaz
(e finjo muito bem)

2 comentários:

sol disse...

nOOOssa...as palavras flutuam do coração!
Paz e Luz
Jaiaa
Namastê

Christoffer disse...

Lutes por algo ou cairás por qqer caco!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...